O QUE SOMOS

 

Nossa motivação inicial era simples: levar nossos poemas para a rua. Foi no decorrer do percurso que identificamos (ou produzimos) outros porquês. A poesia nos muros fala sobre o desejo de novos futuros, pensa novos usos para os territórios compartilhados, com sociabilidades mais generosas e menos voltadas para a lógica do consumo que domina nosso cotidiano.

 

A arte urbana se retroalimenta nas trocas com a cidade. Quando o poema imprevisto sequestra nossa atenção, cada esquina representa uma chance de descobrir novos sentidos, de formular novas perguntas. Andamos pela rua não mais contando os minutos que escorrem de nossos pulsos, mas procurando a poesia que se esconde nos espaços compartilhados. Não andamos apenas à procura da poesia que existe, passamos a perceber aquela que poderia haver, e onde um novo poema caberia.

 

A proposta do Transverso é desenvolver uma linguagem de arte urbana em que o discurso seja tão relevante quanto a forma, e o que descobrimos nesse trajeto é que uma linguagem só se desenvolve no diálogo.

 

Coletivo Transverso é formado por Cauê Maia, Patrícia Bagniewski, Patricia Del Rey e Rebeca Damian. Toda reprodução do nosso trabalho é autorizada e incentivada, desde que sem propósitos de venda ou comercialização.